Homem chega a Marte em 2031

A agência espacial norte-americana (NASA) anunciou um programa de regresso à Lua e de ida ao planeta vermelho. Ainda há muitas incertezas pelo meio

A NASA anunciou ontem que está a preparar uma missão a Marte que inclui passageiros humanos, mas que tal não deverá ocorrer antes de 2031. Ao mesmo tempo, e dando corpo ao novo programa espacial Constellation, a NASA estima voltar à Lua em 2020.

Numa apresentação que decorreu em Houston, os responsáveis da agência espacial revelaram incertezas em relação ao modelo final da viagem, o que se nota desde logo no enorme intervalo orçamental proposto. De facto, a NASA avança com números entre os 20 mil milhões e os 450 mil milhões de dólares em relação às necessidades de financiamento da operação.

Do que é desde já possível divulgar, a NASA refere que a equipa de astronautas será "diminuta" e que estará ausente durante 30 meses, 16 dos quais em solo do planeta vermelho. A nave espacial pesará cerca de 400 toneladas e será propulsionada por quatro foguetões Ares V, a mais recente novidade saída das fábricas da NASA. A nave final só será montada já na atmosfera terrestre. O combustível a usar será fuel criogénico.

A manter-se o actual modelo, a NASA prevê que muitas das mercadorias e peças para construção do ambiente artificial em que os astronautas se movimentarão durante a estadia em Marte serão enviadas antes, entre 2028 e 2029.

Segundo a apresentação, os astronautas poderão cultivar fruta e legumes no interior da cápsula, que serão posteriormente transplantados para o seu habitat em Marte . A energia nuclear será a utilizada para as diversas actividades científicas e do dia-a- -dia dos primeiros "habitantes" comprovados de Marte . O equipamento prevê reciclagem de ar e água.

As dificuldades de reabastecimento ou de ajuda exterior indicam que os astronautas escolhidos deverão ser completamente auto-suficientes. Terão de fazer não só reparações como mesmo ser capazes de fabricar algumas peças. A NASA reconhece que há ainda uma zona vasta de imponderável em todo o projecto. Também por isso conta ir antes à Lua para testar algum do equipamento e tecnologia que deverá posteriormente ser usado em Marte .

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular