Peritos sem explicação para ausência de mortes por gripe

Portugal e Alemanha já têm mais de dez mil infectados e nenhum caso mortal. Especialistas estudam diferenças para encontrar justificação mas só daqui a alguns meses haverá conclusões.

Sem nenhuma vítima mortal por gripe A, Portugal está a bater até as previsões mais optimistas. Segundo os especialistas, a taxa de letalidade aponta para uma ou duas mortes por cada mil infectados, mas há países que registam mais de dez mil doentes, como são os casos de Portugal e da Alemanha, mas nenhuma vítima. São excepções que os especialistas ainda não sabem justificar, ou, pelo menos, para as quais não há explicações simples, diz Paulo Moreira, da Comissão Executiva do Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC). "Sorte" e uma boa resposta dos serviços de saúde são as razões avançadas.

Portugal não ter mortes nos primeiros milhares de casos "é uma sorte", no sentido em que se está a fugir às probabilidades, diz o virologista Jaime Nina. "Os números, apesar de tudo, ainda são pequenos para as estatísticas indicarem fielmente o que se passa", explica Cristina Furtado, epidemiologista do Instituto Ricardo Jorge. Paulo Moreira considera que as diferenças na letalidade entre países acertam-se quando houver mais casos e acrescenta que o ECDC está neste momento a compilar dados para analisar as variações.

Todos os peritos salientam que é muito difícil comparar casos, já que muitos países pararam de contabilizar as infecções. E que só quando acabar a época de gripe no hemisfério sul haverá conclusões sobre a letalidade do H1N1. "Por enquanto, tudo indica que será menos grave que a gripe comum", diz Jaime Nina.

Outra explicação é que os serviços de saúde "têm estado mais atentos e sido capazes de diagnosticar os doentes a tempo", diz Cristina Furtado. Jaime Nina acrescenta que o acesso à saúde em Portugal é "muito melhor do que seria de esperar em relação ao seu desenvolvimento económico". Para Paulo Moreira, contudo, é especulação falar disso quando comparamos países desenvolvidos.

Na última semana foram diagnosticados 2983 novos casos de gripe A em Portugal (cinco estão internados nos cuidados intensivos), fazendo subir para 10 496 o número de infectados.

Na freguesia da Venda Nova, concelho da Amadora, os habitantes podem este ano ter acesso gratuito à vacina contra a gripe sazonal. Basta levar a receita médica à junta, onde receberão uma senha para levantar o medicamento numa das duas farmácias da freguesia. Poupam assim cerca de oito euros. Podem depois ser vacinados no centro de saúde local. No ano passado, a junta já tinha comprado 100 vacinas para os idosos da freguesia. No entanto, este Outono, resolveu optar por outro sistema e pagar todas aquelas que forem receitadas pelos médicos, incluindo assim doentes crónicos de todas as idades e também grávidas.

Últimas notícias

Mais popular