PS ignora plano anti-sismo há três anos

PCP voltou a apresentar em Novembro plano de diminuição  de risco similar ao que socialistas chumbaram em 2006 na AR.

O PCP apresentou, em 2006, uma recomendação na Assembleia da República que propunha ao Governo a tomada de várias medidas para prevenir e minimizar os estragos de abalos sísmicos. Todos as bancadas aprovaram menos o partido do Governo, o PS, que na altura gozava de maioria no Parlamento.

O deputado comunista e subscritor da proposta, Miguel Tiago disse ao DN que achou "estranho" o chumbo do PS e a única justificação que encontrou foi mesmo "o facto de o PS não aceitar algumas propostas só por serem de outros partidos".

Controlar a qualidade dos edifícios novos, avaliar a vulnerabilidade sísmicas das indústrias, escolas e hospitais, e a criação de um grupo de trabalho para implementar estas e outras medidas faziam parte das reivindicações comunistas.

Mais tarde, conta Miguel Tiago, o PS terá informalmente mostrado disponibilidade para aprovar a proposta. Então, em Abril deste ano, o PC voltou à carga defendendo um Plano Nacional de Redução da Vulnerabilidade Sísmica. A legislatura acabou, a proposta não foi discutida, mas o PC voltou a apresentá-la novamente em Novembro.

Últimas notícias

Recomendadas

Contéudo Patrocinado

Mais popular