Miguel Lopes quer jogar e sentir o hino

Novato na seleção não foi praxado pelos colegas, tendo sido bem recebido pelos colegas no treino de estreia.

Miguel Lopes, convocado pela primeira vez para a seleção portuguesa, confessou esta quarta-feira o sonho de ter uma oportunidade de jogar no Euro2012 de futebol, seja como lateral esquerdo ou direito.

"O meu sonho é ter uma oportunidade de jogar, sentir o hino, que é uma enorme alegria. O hino nacional para mim é fantástico", disse na sua primeira conferência de imprensa como jogador da seleção.

Eleito por Paulo Bento para estar no Europeu, que se disputa entre 8 de junho e 1 de julho, na Polónia e Ucrânia, o jogador do Sporting de Braga assumiu que recebeu a notícia da convocatória com "enorme alegria", porque vestir a camisola de Portugal é um orgulho.

Novato na seleção, Miguel Lopes não foi praxado pelos companheiros, mas foi "muito bem recebido".

"A maior parte dos jogadores já conheço, estou aqui a trabalhar para dar o meu melhor, se for escolha do 'mister' vou dar cem por cento", prometeu, indicando que é indiferente jogar à esquerda ou à direita do eixo da defesa, uma vez que o importante é jogar.

Sem equipa até janeiro, o defesa lateral não acredita que o facto de ter feito apenas meia temporada o prejudique na hora de ser opção de Paulo Bento para os jogos do Euro2012.

A situação complicada superou-a com espírito de sacrifício -- "O segredo foi nunca desistir, sou muito ambicioso"-, o mesmo que terá de ter agora a gerir o conflito de datas entre a presença na seleção e o casamento já marcado.

"Vou gerir da melhor forma. É um sonho que tinha desde criança, é uma enorme alegria estar junto da seleção. Em relação ao casamento, marca-se outra data", brincou, revelando que ainda não tem novo dia para o enlace, que estava agendado para 26 de maio.

Para Miguel Lopes, que começou a pensar que estaria na seleção ao ver as notícias que foram saindo nos jornais, Portugal tem de encarar o Europeu jogo a jogo e estar "concentradíssimo" no objetivo único de ganhar jogos.

"Não devemos temer nada. Temos um grupo de trabalho cheio de excelentes jogadores", realçou o defesa que diz identificar-se com os brasileiros Daniel Alves, do FC Barcelona, e Maicon, do Inter de Milão e que vai entregar a sua primeira camisola de internacional A à sua mãe.

Um dos 23 eleitos do selecionador português, o jogador do Sporting de Braga acumula agora dois sonhos: o de ver Portugal sagrar-se campeão europeu e o de envergar o número 13.

"Gostava, porque costuma dizer-se que é o número do azar. Não penso assim. Era bom ter o 13 na camisola, mas é um simples número", concluiu.

Últimas notícias

Mais popular