Empresário de Donnarumma acusa Milan de "bullying"

Segundo Mino Raiola o clube italiano ameaçou o guarda-redes com "um ano sem jogar", depois de ele recusar renovar contrato. Jogador pode sair livre em junho de 2018.

Gianluigi Donnarumma decidiu não renovar com o Milan, tornando-se um jogador livre no final da próxima temporada (2017/18). Uma decisão que caiu mal ao clube e aos adeptos, que vêm no jovem guarda-redes o novo Buffon. Agora, Mino Raiola, veio a público defender o seu jogador e acusar o emblema milanês de "bullying".

"Não tenho nada contra o Milan, mas a decisão está tomada. Ameaçar um jogador, dizendo-lhe que vai ficar na bancada durante um ano é bullying. Assumo 100% da responsabilidade em relação à questão da renovação. Mas, para já, não temos acordo com nenhuma equipa", afirmou em declarações à Sky Itália.

O ambiente criado em redor do jovem guarda-redes italiano precipitou a decisão de sair do clube, segundo o agente: "Donnarumma já tinha ofertas de outros clubes com 14 anos. Se quisesse sair, já o poderia ter feito. Criou-se uma situação demasiado violenta à sua volta. Fomos ameaçados. O Milan perdeu-o. Tivemos que tomar uma decisão que não estávamos preparados para tomar. Não é por dinheiro."

Pode não ser uma questão de dinheiro, mas os adeptos acham que sim e brindaram o guardião ao serviço da seleção italiana de sub-21, durante um jogo do Euro2017, com centenas de notas falsas, alegadamente relacionadas com o facto de o guardião não querer renovar contrato com o Milan.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Desporto
Pub
Pub