"Tentei ajudar o árbitro, mas ele não cedeu"

Custódio diz que tentou explicar ao árbitro que foi ele quem cometeu o penálti que deu o empate ao Benfica, mas Soares Dias mostrou o cartão amarelo - e consequente vermelho - a Douglão.

Estádio da Luz, minuto 71. Mão na bola em plena grande área do Sporting de Braga, que motivou, de imediato, a equipa de arbitragem chefiada por Artur Soares Dias a assinalar grande penalidade a favor do Benfica. O árbitro pegou no cartão amarelo - as regras ditam que o cartão vermelho só deverá ser mostrado caso o corte seja feito quando a bola vai em direção à baliza e a equipa de arbitragem entendeu que não era o caso -, mas equivocou-se na admoestação.

Custódio (não tinha qualquer cartão) cometeu a falta e deveria ter sido ele a ver o cartão amarelo, mas acabou por ser Douglão a ver a cartolina... e a receber ordem de expulsão, uma vez que já tinha um cartão. "Tentei ajudar o árbitro, mas ele não cedeu. Paciência, mas é pena que tenhamos jogado com dez jogadores, porque nos retirou capacidade para irmos à procura da vitória", lamentou Custódio, após o empate entre Benfica e Sporting de Braga, este sábado, em jogo da primeira jornada da Liga.

O próprio Douglão tentou explicar ao árbitro que não tinha sido ele a cometer a falta, mas o juíz não voltou atrás na decisão. "O estado de espírito do Douglão é de tristeza porque foi penalizado por uma coisa que não fez. Vamos dar toda a força ao Douglão porque é um grande jogador e muito importante para nós", destacou Custódio, que, ainda assim, lembra-se "do primeiro golo do Benfica e de uma mão na área, do Cardozo, que não foi assinalada."

Últimas notícias

Mais popular