Construtor de guitarras de Jimmy Page e Sting no Festival 3D Jazz

O festival 3D Jazz, que começa sexta-feira no Centro de Artes e Espetáculos da Figueira da Foz, integra uma exposição com trabalho ao vivo de Andy Manson, um dos mais importantes nomes na construção artesanal de guitarras.

O "luthier" britânico soma 45 anos de actividade - começou na arte em 1967 - e assume, na sua página na Internet, que o objetivo com que constrói cada instrumento passa por "exceder as expetativas" dos músicos.

"É um dos principais construtores de guitarras dos grandes nomes mundiais, desde Led Zeppelin a Sting. É uma figura topo de gama no que diz respeito à construção de instrumentos de corda", disse à agência Lusa Teixeira de Matos, diretor técnico do Centro de Artes e Espetáculos da Figueira (CAE).

De entre a lista de clientes de Andy Manson constam músicos e bandas - umas já desaparecidas, outras atuais - como Jimmy Page e John Paul Jones (Led Zeppelin), para os quais construiu célebres guitarras de três braços, Martin Barre e Ian Anderson (Jethro Tull), Don Felder (The Eagles), Mike Oldfield, Joshua Homme (Queens of the Stone Age) ou Matthew Bellamy (vocalista e guitarrista dos Muse), entre muitos outros, como Sting ou Andy Summers, que integraram The Police.

Teixeira de Matos alegou que a exposição vai "enriquecer" os três dias do festival de jazz - de sexta-feira a domingo - e que Andy Manson vai "trabalhar ao vivo", mostrando como se constroem "pequenas peças" de guitarras.

"Ele não vai construir aqui uma guitarra, mas vai trazer guitarras desconstruidas e vai mostrar às pessoas como se faz", explicou o responsável técnico do CAE.

Teixeira de Matos assinalou, ainda, uma curiosidade que o deixou "deveras impressado": "As mãos dele [Andy Manson] parecem extraordinariamente belas de deformadas, pelos inúmeros golpes de manuseamento" das ferramentas, no ato de construção artesanal das guitarras.

O programa do festival 3D Jazz, que se estende, igualmente, a espaços da Tubo de Ensaio D'Artes, abre sexta-feira com um "workshop" de bateria de Hugo Danin, no auditório daquela associação.

O bar da Tubo de Ensaio recebe, pelas 24:00, o quarteto de clarinetes da Figueira da Foz, e antes, às 22:00, no anfiteatro exterior do CAE atua o pianista e compositor Filipe Raposo, acompanhado por Yuri Daniel e Vicky Fernandes.

No sábado, pelas 19:00, no pequeno auditório do Centro de Artes e Espetáculos, o jazz fica a cargo do projeto Desdobrável, "um coletivo de música improvisada que assenta no conceito de criação sonora em tempo real", como se lê numa nota da produção.

O compositor, músico e ensaísta António Pinho Vargas, autor de oito discos de jazz enquanto pianista, atua no Grande Auditório do CAE, às 22:00, e, às 24:00, há "jazz sessions" na Tubo de Ensaio, pelo quarteto de jazz da associação.

O Festival 3D Jazz encerra domingo com um concerto gratuito, na esplanada exterior do CAE, a cargo da Orquestra de Guitarras e Baixos Elétricos do Porto, projeto que teve a sua génese na Casa da Música.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular