Alisuper vai adoptar nova insígnia no Outono

Rede algarvia está em conversações para parceria com o grupo holandês Spar

A cadeia de supermercados Alisuper vai começar a reabrir as restantes lojas a partir do Outono, já sob uma nova insígnia. Nesse sentido, estão a decorrer negociações com vista a uma parceria com o grupo holandês Spar, prevendo-se que em Julho do próximo ano todas as 89 lojas estejam a funcionar.

Na sequência da aprovação, a 16 de Julho, do plano de viabilização da Alicoop, em processo de insolvência há um ano, foram para já reabertos oito estabelecimentos em zonas turísticas do Algarve, estando previstos mais quatro até ao fim do mês para aproveitar ainda o Verão. A medida permite o regresso à actividade de 100 dos quase 400 funcionários da Aliccop, que tiveram de suspender os contratos de trabalho passando a receber do fundo de desemprego 65% dos seus salários.

O Alisuper da Quinta do Lago, em Loulé, foi o primeiro a voltar a abrir as portas, a 13 de Agosto, seguindo-se um dia depois a entrada em funcionamento de estabelecimentos em Vale de Lobo e Vilamoura, também naquele con- celho. No primeiro grupo de reaberturas fazem ainda parte lojas no Alvor (Portimão), Albufeira e Açoteias, ambas no concelho de Albufeira. "O pior já passou. Já vencemos grandes batalhas e conseguimos arregaçar as mangas", disse ao DN Sónia Correia, membro da Comissão de Trabalhadores da cooperativa Alicoop, que detém as empresas Alisuper, Macral e Geneco.

Os restantes supermercados de um total de 89, a maioria no Algarve, voltarão a abrir de acordo com a sua viabilidade. Carlos Tuta, ex-presidente da Câmara Municipal de Monchique e que agora assume a presidência do conselho de administração da Terra Exclusiva, empresa que substitui a Alicoop até Novembro na gestão da maior cadeia de supermercados do Algarve, espera ver "todas as lojas reabertas e todos os funcionários ao serviço" em Julho de 2011.

O documento aprovado pelos credores e pelo Tribunal de Silves aponta para a reconversão dos supermercados Alisuper numa insígnia internacional, mas a parceria com essa finalidade não se encontra ainda completamente es- tabelecida. Segundo apurou o DN, a marca holandesa Spar poderá ser uma das hipóteses.

A aprovação do plano de recuperação, que terá ainda que transitar em julgado, permitirá também salvar mais de mil postos de trabalho, quase 400 dos quais da Alicoop e os restantes pertencentes a micro, pequenas e médias empresas fornecedoras do grupo de distribuição alimentar. Cem funcionários da Alicoop, 70 deles nos supermercados e os restantes 30 nos serviços administrativos, já retomaram funções com a reabertura das primeiras lojas.

Há dois anos, cerca de 250 trabalhadores aceitaram o repto lançado pela administração, então liderada por José António Silva, de recorrerem a empréstimos no Banco Português de Negócios para injectar quase 1,5 milhões de euros no grupo, de forma a salvá--lo da falência, tornando-se, assim, seus futuros sócios. Houve quem tivesse contraído empréstimos de 3500, quatro mil, dez mil e 20 mil euros, consoante os salários, e agora estão com dificuldades para pagar as prestações. Porém, Sónia Correia garantiu que a aprovação do plano de viabilização prevê a inclusão desse encargo no próprio grupo empresarial. "Não sei de nada. Estou a pagar prestações ao banco, pelo que tudo continua na mesma", ripostou ao DN uma funcionária.

Últimas notícias

Mais popular