Esta segunda-feira é dia de ir ao teatro. Alguns espetáculos são gratuitos

"Ensaio para uma cartografia", de Monica Calle, no Teatro Nacional D. Maria II

Hoje, 27 de março, é Dia Mundial do Teatro. Aqui ficam algumas sugestões de atividades, na sua maioria com entrada livre. E leia a mensagem de João Brites para este dia.

O Dia Mundial do Teatro, que se celebra a 27 de março, segunda-feira, vai contar com dezenas de iniciativas pelo país, entre as quais, peças de teatro e exposições.

A pedido da SPA - Sociedade Portuguesa de Autores, o encenador João Brites escreveu a mensagem nacional para o Dia Mundial do Teatro, na qual fez questão de recordar o Teatro da Cornucópia que encerrou a sua atividade em dezembro passado: "Aquela sala de teatro que, como uma caverna, persistentemente escavaram, - e onde partilhámos tantas sombras que nos ajudaram a crescer como pessoas e como artistas, - passou agora para as mãos de quem sinta a necessidade de a usar preservando o seu espírito."

"Mas se é indispensável não perder a memória, também é indispensável manter viva a curiosidade em acompanhar os projetos que, com maior ou menor longevidade, se afirmam e muito especialmente os que nascem, titubeantes como nascem todos os seres vivos, e ousam lançar as bases de uma continuidade que não quer esmorecer perante as primeiras dificuldades", escreve o encenador na mensagem que pode ser lida na íntegra AQUI.

João Brites, diretor de O Bando, dirige-se aos seus companheiros de teatro, ao público que vai ao teatro e até àqueles que nunca vão ao teatro: "Acredita que mesmo nos períodos mais horríveis, sujeitos a bombardeamentos ou a perseguições, poder-nos-ás encontrar, como sempre tem acontecido, nas catacumbas das cidades, nas caves dos prédios destruídos ou refugiados nas montanhas mais inóspitas, escondidos nas suas cavernas. Mesmo isolados ou prisioneiros continuaremos a observar a nossa sombra e com ela aprender a ler e a compreender o que ela tem para nos ensinar. Enquanto não for possível roubarem-nos a sombra, não deixaremos de brincar com os efeitos que ela produz nas paredes das grutas, para melhor nos podermos rir ou chorar dela e com ela."

Uma ideia que vai ao encontro da mensagem internacional do Dia Mundial do Teatro que é, este ano, da atriz Isabelle Huppert:

Segunda-feira costuma ser dia de descanso no teatro mas, amanhã, excecionalmente, haverá portas abertas um pouco por todo o país. Aqui ficam algumas sugestões.

Em Lisboa, o Teatro Nacional D.Maria II vai ter atividades ao longo do dia, de entrada livre, estando prevista uma visita guiada à exposição Teatro em Cartaz: A coleção de D.Maria II, às 14:00, com curadoria de Lizá Ramalho e Artur Rebelo.

Às 16:00 e às 19:00, haverá a apresentação da "ação teatral" de curta duração Ethica. Natura e origine della mente, do encenador e artista plástico italiano Romeo Castellucci.

Às 20:00, após a última apresentação desta ação, o público terá a possibilidade de participar numa conversa com Romeo Castellucci, moderada pelo poeta José Tolentino Mendonça.

À noite, "uma série de narrativas são oferecidas ao público em diferentes locais do Teatro" Nacional, com o espetáculo Tiranossauro Rex-Procedimento básico de memorização e esquecimento", do brasileiros Alex Cassal. Às 21:30, apresenta-se Ensaio para uma cartografia, criação da encenadora e atriz Mónica Calle.

A entrada é livre, mediante o levantamento de bilhetes, na bilheteira do TNDM II, a partir das 10h30.

Também em Lisboa, a Companhia do Chapitô "celebra as artes cénicas com a magia do circo", com "O Teatro e o Circo", no dia 27 de março, às 22:00. Além dos alunos do Chapitô, o espetáculo contará com os artistas italianos Katharina Gruener e Luca Sartor, residentes artísticos na companhia.

No Porto, a partir das 10:00, o Teatro Nacional São João (TNSJ) e o Mosteiro de São Bento da Vitória (MSBV) promovem três visitas guiadas, de entrada gratuita, à exposição "Noites Brancas", "uma travessia por territórios cénicos que fazem a memória do teatro".

Também pela manhã, no 'foyer' do TNSJ e no átrio do mosteiro, dá-se início à Feira do Livro de Teatro, que se prolonga até sexta-feira, 31 de março, na qual estarão disponíveis títulos editados e coeditados pelo TNSJ, nos últimos anos.

Às 15:00, a professora e investigadora teatral Alexandra Moreira da Silva orientará um seminário sobre Romeo Castellucci e os limites do teatro.

O ciclo de Romeo Castellucci termina terça-feira, dia 28 de março, com duas iniciativas que terão lugar no MSBV, no Porto: o encenador italiano vai dirigir uma 'masterclass', às 15:00, e haverá ainda a apresentação de Júlio César - Peças Soltas, uma intervenção dramática sobre William Shakespeare, integrada no BoCa - Biennial of Contemporary Art's, com récitas às 17:00 e às 21:00.

Em Coimbra, o Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV), no âmbito da 19.ª Semana Cultural da Universidade de Coimbra e do Festival END 2017: Encontros de Novas Dramaturgias, apresentará um espetáculo, às 22:00, intitulado A Constituição, do dramaturgo Mickael de Oliveira.

Em Olhão, no distrito de Faro, a peça Hoje não há Teatro, da companhia local A Gorda, sobe ao palco do Auditório Municipal, às 21:30.

Em Almada, a Companhia de Teatro de Almada comemora a data com iniciativas, de entrada livre, a partir das 17:00. Ao longo do dia, no Teatro Municipal Joaquim Benite, haverá a leitura da peça Migrantes, de Matéi Visniec, o lançamento do terceiro volume da coleção "O sentidos dos mestres", dedicado ao encenador Ricardo Pais, e dois espetáculos com a peça A noite da iguana, de Tennessee Williams, encenada por Jorge Silva Melo, e Bonecos de Luz, de Romeu Correia, com encenação de Rodrigo Francisco. Antes do espetáculo A noite da Iguana, Jorge Silva Melo irá ler a mensagem do Dia Mundial do Teatro deste ano, da autoria da atriz francesa Isabelle Huppert.

Em Tondela, as comemorações começaram na sexta-feira, com uma produção de teatro radiofónico, criação artística conjunta da companhia Trigo Limpo Teatro ACERT com a Fundação Lapa do Lobo (FLL). A Ilha Desconhecida, adaptação do conto de José Saramago, será apresentada em Tondela nos dias 25 e 27 de março, às 21:45, numa coprodução da Fundação José Saramago.

No Montijo, o Centro de Estudos de Teatro e a Companhia Mascarenhas-Martins juntaram-se para organizar a jornada "Criar e produzir: modalidade de cooperação criativa nas artes cénicas", que terá lugar no Cinema-Teatro Joaquim d'Almeida, a partir das 14:30. Para a jornada são esperados profissionais de teatro, como Anne de Amézaga (Compagnie Louis Brouillard), Carla Ruiz (TNDMII) e Luís Miguel Cintra (Teatro da Cornucópia).

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Artes
Pub
Pub