Manuel Cargaleiro e a obra "muito amada" em Castelo Branco

Manuel Cargaleiro em 2011

Manuel Cargaleiro recebeu hoje a medalha de ouro de Castelo Branco durante a assembleia municipal comemorativa dos 246 anos da elevação a cidade e afirmou que a sua obra está a ser "muito amada" naquele concelho.

"Sinto uma grande, grande gratidão e agradecimento a Castelo Branco e, neste momento, ao presidente da Câmara, que está a defender o mais possível esta fundação [Fundação Manuel Cargaleiro]. Deus queira que consigamos fazer o projeto que pensámos para muitos anos. É isso que desejamos", afirmou o artista após ter sido agraciado com a medalha de ouro do concelho.

A decisão da atribuição da medalha de ouro do concelho foi tomada, por unanimidade, em reunião privada do executivo municipal, no dia 14, e teve como base o "relevante reconhecimento" prestado por Manuel Cargaleiro a Castelo Branco, à região e também a Portugal, bem como a fundação que criou e que sediou na cidade, levando o seu nome além-fronteiras.

"A minha obra está a ser muito amada em Castelo Branco. Se ela é bem defendida ou não, os senhores é que o devem dizer", sustentou.

Manuel Alves Cargaleiro nasceu em 16 de março de 1927, em Chão das Servas, Vila Velha de Ródão, e a fundação criada pelo pintor e ceramista português para gerir as suas obras tem a sede em Castelo Branco desde 2010.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condecorou, no Palácio de Belém, o "artista completo" Manuel Cargaleiro, no dia do seu 90º aniversário, com a Grã-Cruz da Ordem do Infante Dom Henrique.

Para o futuro, o mestre desejou que o presidente do município de Castelo Branco materialize os oito museus para a cidade e que os consiga por em funcionamento com muita vida: "Espero que Castelo Branco seja um dos centros mais importantes da arte moderna em Portugal".

O Museu Cargaleiro inaugurou hoje uma exposição inédita, sob o tema "Cargaleiro e os AMIGOS" que conta com mais de meia centena de obras de artistas portugueses, russos, franceses, húngaros e romenos.

"Fui amigo de alguns pintores e é por isso que se chama Cargaleiro e os Amigos. Esta exposição (...) é muito importante, porque é a primeira vez que se mostra uma parte pequenina do acervo da fundação e é uma exposição que mostra uma parte da pintura nacional e internacional que eu consegui reunir em 60 anos", sublinhou.

Já o presidente da Câmara de Castelo Branco, Luís Correia, disse que o município está sempre disponível para aceitar os desafios do mestre Cargaleiro: "Como disse na sessão, o mestre [Cargaleiro] é um dos nossos, está a dar um grande contributo para o nosso desenvolvimento e contamos com ele para continuar no futuro a dar esse contributo".

O autarca adiantou ainda que Castelo Branco possui um conjunto de museus, onde se inclui o museu Cargaleiro, aos quais quer incutir uma dinâmica própria.

"Precisamos de lhes dar dinâmica também. No futuro, queremos continuar este trabalho de interligação entre os museus e para esse trabalho precisamos que o mestre nos ajude", concluiu.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Artes
Pub
Pub