E se a prática de yoga ajudasse a ter melhores notas nos testes?

A postura de pinça numa das ilustrações do livro de Rebecca Rissman

Chama-se Yoga para Ti, é um livro, e apresenta as posturas de yoga ilustradas e explicadas passo a passo para ensinar aos mais novos

Divirtam-se, o yoga não é sisudo. Esta é a mensagem que Rebecca Rissman, professora e praticante desde 2001, quer passar aos mais novos, crianças e jovens, no seu recente livro Yoga para Ti, agora editado em Portugal. Na capa, está uma menina ilustrada em posição de meditação. Lá dentro, muitas outras meninas desenhadas, a mostrar as posturas de yoga corretas. A ideia é os mais jovens aprenderem a praticar por si próprios.

Esta norte-americana de 34 anos começou a pensar este livro há nove, altura em que começou a escrever para crianças. Nas suas aulas, para miúdos e graúdos, tem uma preocupação: encontrar a melhor forma de explicar aos seus alunos de yoga cada postura sem que estes tenham de olhar para ela ou para o praticante do lado. Uma espécie de jogo em que as palavras são vitais.

Resolveu agora empregar essas descrições num livro dedicado aos mais novos. Acredita que podem aprender por si, sem um professor. Mas deixa "uma regra muito importante: não fazer nenhuma atividade que cause dor. Se uma postura de ioga doer, devem parar imediatamente". Em entrevista, feita por e-mail, Rebecca diz que a prática de ioga traz "espantosos benefícios a pessoas de todas as idades". E especifica: "Para jovens adultos, ajuda a tonificar os músculos e a aumentar a flexibilidade. Para todas as crianças é uma ótima forma de libertar energia e divertir-se. É também muito bom para a mente. Ajuda as pessoas a relaxar, a focarem-se e a sentirem-se mais felizes. Um estudo científico recente até mostrou que o yoga pode ajudar os estudantes a melhorar as notas!"

Rebecca Rissman é mãe de duas meninas, com 1 e 3 anos. Conta--nos que costumam praticar em conjunto, na sala. A filha mais velha gosta muito, especialmente das posturas de equilíbrio. Já a mais pequena aparece no tapete da mãe mais brevemente: "Reproduz a postura de cão a olhar para baixo [adho mukha svanasana] e vai brincar com os brinquedos dela."

A autora, atualmente a viver em Chicago, conta como as duas filhas a ajudaram a escrever o livro. "Lembraram-me para não levar o yoga muito a sério. Elas não querem saber a história nem o que parece, preocupam-se em desfrutar. Eu tento sempre ter isso em mente."

Pranayama antes de dormir

Rebecca explica que a prática de yoga pode ser introduzida como uma "ótima" parte da rotina dos miúdos. "Não significa que façam uma aula de uma hora todos os dias. Quem teria tempo para isso? Recomendo que tragam o yoga para o dia-a-dia em pequenas doses. Pode ser fazer cinco saudações ao Sol [conhecida sequência do yoga] antes do pequeno-almoço ou cinco minutos de pranayama [respirações profundas] antes de deitar."

Com uma extensa lista de livros publicados, muitos no âmbito do bem-estar, a autora explica como chegou a esta prática milenar que agora quer transmitir aos mais novos. "Comecei a praticar em 2001 e fiz um curso de introdução ao yoga na Universidade de Santa Clara. Continuei a praticar uma ou duas vezes por semana. Em 2008 foi diagnosticado um cancro à minha mãe. Ajudá-la a enfrentar os tratamentos foi stressante e assustador, e comecei a ir mais e mais às aulas. A minha prática ajudou-me a manter-me calma e focada, mesmo durante os momentos mais difíceis. Nesse ano tornei-me professora de ioga para poder ajudar as outras pessoas em momentos de crise."

Atualmente, Rebecca dá aulas a crianças e adultos. Nas aulas dos mais novos, tenta tornar tudo mais divertido. "Fazemos os sons dos animais das posturas, cantamos. Estamos sempre a rir. Movemo--nos mais depressa. Nas aulas dos adultos, gosto de deixar os alunos sentados nas posturas um ou dois minutos para os deixar experienciá-las por completo. Nas crianças, foco-me no movimento."

No livro Yoga para Ti, para além das várias posturas explicadas passo a passo e ilustradas, a autora incluiu ainda algumas noções básicas, como o controlo da respiração ("aprender a focar a respiração pode ajudar-te a acalmar quando estás assustado ou ansioso") e a meditação ("larga o telemóvel!").

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular