Publicidade
Diário de Notícias Diário de Notícias


suplemento_negocios

Luso-Roux duplica leilões de imóveis

por

ndiana mendes  

Colocar imóveis em leilão parece ser cada vez mais uma solução para a banca e potenciais compradores. A acumulação de imóveis em carteira pede uma solução rápida e líquida e os particulares ou empresas procuram simplesmente um bom negócio. A Luso-Roux, empresa holandesa dedicada à avaliação de activos, "descobriu" uma brecha importante no mercado os leilões. No ano passado foram organizados quatro com cerca de 100 casas cada (50 no Porto e Lisboa). Este ano, a conta já subiu aos seis, mas "até ao fim do ano são esperados mais três", frisou Ana Ferro, a directora comercial da Luso-Roux Portugal, o que significa que as vendas podem duplicar.

"A banca concedeu muito crédito até 2001/2 e sabe-se que, por força da crise económica, a bolsa de cada um está mais apertada, havendo consequências negativas para o mutuário e para a banca a jusante", afirmou a responsável. Foram estes casos de malparado que inspiraram a Luso-Roux, e posteriormente a Euro Estates, a lançar esta modalidade. Ana Ferro considera que " esta é uma solução alternativa. É muito líquida e permite vender num dia entre 60 a 70 imóveis".

Quando iniciaram com mais vigor esta fórmula original de mediação imobiliária, o crédito de cobrança duvidosa aumentava no País. Em Julho deste ano, porém, o malparado na habitação caiu 3,87% face ao mês anterior, passando de 1,13 mil milhões de euros para 1,091 mil milhões, segundo dados do Banco de Portugal.

A perpetuação da crise económica e o aumento do endividamento dos portugueses é, no entanto, uma fonte de riscos para os bancos. Embora de cientes do facto, têm mantido a até aumentado a concessão de créditos por motivos concorrenciais, sem alterar substancialmente os critérios de atribuição dos mesmos.

Os imóveis que sobem à praça transmitem um pouco do que se passa no mercado do crédito, já que 90% das casas têm origem na banca. Ana Ferro frisou que "a maioria dos imóveis têm alguma idade e são provenientes de zonas mais complicadas, onde há mais necessidade de crédito", e que obviamente correm mais riscos de falha nos pagamentos.


Ler Artigo Completo(Pág.1/2) Página seguinte
Patrocínio
 
0Visualizações
0Impressões
0Comentários
0Envios
Ferramentas

Enviar por EmailEnviar por EmailPartilharPartilhar
ImprimirImprimir
Aumentar TextoAumentar TextoDiminuir TextoDiminuir Texto

FERRAMENTAS
 
  • Enviar por EmailEnviar
  • PartilharPartilhar
  • ImprimirImprimir
  • Comentar este ArtigoComentar este Artigo
  • Aumentar TextoAumentar Texto
  • Diminuir TextoDiminuir Texto
 
PARTILHAR NOTíCIA
 


PUB
Continente UVA D'OURO 2014 DN 300x100

Especiais

Recuar
Avançar
BT Edições Multimédia
Ocasião/Zaask - Destaque 300x100 DN
Epaper



PUBLICIDADE

sondagem

Inquérito DN

Quem pensa que está nesta altura mais bem posicionado para vencer as eleições no PS?

António Costa
António José Seguro
Votar  Ver Resultados



DN

Epaper

Epaper